Qual a cor que te inspira?!

A escolha da cor das paredes, dos móveis e de tudo que compõe uma casa depende mais de nós e dos nossos humores do que das normas ditadas pelas tendências do ano. É preciso se questionar sobre qual tom tem a ver com seu momento atual, com a sua história, sua alma. Do branco ao vermelho, qualquer escolha é possível, desde que ela te represente.

Photo by Robert Katzki on Unsplash

A pergunta que vem a minha mente é qual cor combina mais com você hoje? Sim, porque cor é uma coisa meio abstrata, que te acompanha desde criança, ou não? Eu lembro de que no meu tempo de colégio minhas amigas ficavam querendo saber qual era a minha cor predileta, e hoje continua a mesma… A gente também não faz uma ligação de cor com sentimento ou objetos? É claro que sim… É normal fazermos estas ligações, assim os verdes lembram florestas, azuis, a cor do mar, amarelos lembram ouro, os vermelhos, a paixão. Se não fosse assim, as fábricas de tinta não nomeavam as cores com nomes que te remetem a alguma coisa similar. Tem nome de cor bastante descolada, tipo, bala toffee, algodão doce, cortina de teatro, echarpe de seda… e tem também as atitudes, tipo se você está de férias, vem logo o nome azul praia, bege cor de areia?? Oi? Fica até engraçado. Também são infinitas possibilidades na hora de comprar tinta, quase temos que fazer um curso. Além disso, as nuances são tão similares que sugiro você comprar 3, 4 ou até mais cores para testar nas paredes, se não consegue decidir. E depois deste desterro, rogai a Deus, bendito fruto que a cor fique boa.

Photo by Jason Leung on Unsplash

Cada cor tem um conceito e as opiniões são muitas, todo mundo palpita e, pensando nisso, eu resolvi fazer este texto para descomplicar um pouco! As cores têm um significado bem especial, o vermelho te seduz, uiii… O branco indica pureza, o preto, o luto. Entender essas associações provocadas pelas cores é uma maneira de nos entendermos, e damos de bandeja um pouco da nossa personalidade.

Photo by Philipp Berndt on Unsplash

Photo by Tareq Shuvo on Unsplash

Existe um tempo certo para cada cor existir na sua casa. Se em uma década estávamos bem sociáveis, sempre com amigos e em festas, em outros tempos não estamos mais, podemos estar mais deprês, mais introspectivos e bem diferentes, afinal, a vida não é uma festa. Mas a cor nos ajuda a mudar o clima das nossas casas. Eu vou te contar, eu morro de amores pelo azul turquesa, é uma cor muito linda para mim, mas não necessariamente tenho que pintar meu quarto de azul turquesa, certo? Sair pela casa pintando mil cores só porque a gente gosta, sei não… Fica esquisito, porém se a gente pega um móvel que está para lá de caído e faz uma laca, por exemplo, em amarelo, nossa! fica muito maneiro. Tem uma #que eu amo #saiadacaixa #ouse #usecor #experimente, e se você errar? Ora bolas, pinte de novo!!! Faça uma anamnese e escolha A COR, aquela cor que você nunca pensaria em usar, então vai lá e se joga, pinte seu aparador com ela. Se você for tímida, comece pintando os banquinhos de cozinha, pinte um de cada cor e admire a diferença.

Na casa da minha mãe, tinha um festival de cores, meus pais eram uns andarilhos por esse mundo afora, duas vezes por ano minha mãe viajava, ia para Europa, Estados Unidos, África, Ocidente e Oriente. Cada vez que ela chegava era aquela expectativa, o que de novidade ela iria trazer, a casa da mãezinha é um mercado árabe, tem de tudo um pouco e tudo muito colorido. Até hoje, tem um tapete pendurado na sala de estar que ela trouxe do Egito. Eu ficava olhando aquele tapete e literalmente entrava no meu mundo colorido. A casa da minha mãe é uma casa cenográfica, você passeia por aquele mundo de objetos e cores, vindos dos mais longínquos lugares. E assim eu desejo que vocês também se conectem e tenham maravilhosas experiências.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *