jul
03

Os arquitetos quando tem a missão de projetar escolas, escritórios ou mesmo salas de aula especificas têm um dilema: Como projetar um espaço que permita um trabalho focado e uma atividade em grupo?!

Na busca de respostas, pesquisei a história das salas de aula elementares que reproduzo aqui através do surpreendente catálogo de idéias do novo livro “The Design of Childhood”, onde a crítica de arquitetura Alexandra Lange apresenta uma pesquisa fascinante sobre design de sala de aula. Lange descreve como as salas de aula evoluíram desde o Século 19 em consequência às mudanças políticas, pedagógicas e tecnológicas de o dia.

Trabalhando com a colaboração dos educadores, os arquitetos buscaram por décadas criar espaços otimizados, mexeram em móveis, ventilação, iluminação, acústica, ergonomia e saneamento. Os arquitetos também descobriram uma maneira de mostrar um sentimento entre estudantes e professores, simplesmente escolhendo móveis do tamanho de crianças e desta forma faziam com que os alunos se sentissem em casa, mas na verdade na escola, se sentiam acolhidos por estarem num ambiente que era compatível com o mundinho deles.

Com a evolução dos projetos de salas de aula as soluções apresentadas melhoraram 100% a experiência do aluno. Os designers estão agora mais atentos às medidas físicas do aluno (garantindo que as crianças possam alcançar os objetos), posturas, estilos de aprendizado e cronograma de atividades. É uma lição que arquitetos particularmente aqueles que projetam escritórios e escolas, levam a sério.

Nós aqui no escritório EDC5 prestamos extrema atenção aos movimentos dentro das salas de aulas e escritórios. É importante mapear o que as crianças e adultos estão fazendo, e como que eles irão se sentir mais confortáveis. Veja no nosso projeto para a Escola Praticamente em Copacabana. Eles têm um conceito super diferenciado, e assim seguiu o projeto, com muitas cores e intervenções divertidas que estimulam a criatividade e a concentração.

Vários elementos clássicos da escola podem ser vistos em projetos de escritórios, embora talvez nem sempre com a mesma utilização usada ??nas escolas. Vamos listar alguns deles para que vocês se atentem como é bom trabalhar ou estudar com muito prazer.

Todos estes exemplos abaixo são tanto para profissionais como para alunos.

Espaços com privacidade.

Parede de escalada.

Espaço de relaxamento.

Decoração criativa.

Cadeiras de praia no jardim de inverno, se houver.

Decoração divertida e colorida.

Espaço dedicado à pratica de vídeos.

Itens de decoração que remetam ao lúdico.

Espaço (se puder), que seja possível andar de bicicleta, contando com uma mini ciclovia.

Jogar totó e ou xadrez nas horas de descanso.

Mesa e almofadas para relaxar.

Espaço de encontros num ambiente moderno e urbano.

Recepção cheia de plantas.

Refeitório com cantina onde se coma bem e se possível de graça. Xadrez gigante para jogar e entreter.

Local para tomar café com vista.

Decoração temática.

Mesa de reunião de grupo que foge do obvio.

Mesas de ping-pong.

Em vez de assentos formais colocar uma pequena arquibancada bem larga e com pouca altura, com almofadas.

Luz do dia adequada, boa acústica, ar fresco, assento de apoio nas costas.

Trabalhar em uma empresa ou numa escola assim é um sonho de quase todos os jovens. O escritório da Google não nos deixa mentir.

O incentivo às horas de descanso, momentos de reuniões, ou nos horários de refeições em conjunto aumenta e estimula a criatividade e a produtividade, em determinados nichos de trabalho, seriedade demais atrapalha.

Um ambiente construído assim pode ajudar as crianças e adultos a cultivarem a autoconfiança.

Este é o estado de espirito que eu chamo de Arquitetura da Felicidade

Deixe seu comentário