set
06

Atenção porque aqui teremos uma bela dobradinha, como fazer o espaço crescer?


Valorize o essencial!


A primeira lição para quem quer tirar o máximo proveito de áreas pequenas é livrar-se de tudo o que não usa, desde roupas até peças de mobiliário.

Está mais do que na hora de você dispensar coisas e gente pesada. Mantendo apenas o essencial, você não irá precisar de tantos armários e estantes e ficará mais fácil projetá-los em tamanhos menores, condizentes com os ambientes reduzidos.

Saiba que a profundidade-padrão, de 60 cm, dos armários pode ser um pouco reduzida, sem prejuízo do conforto, dependendo do tipo de vestuário que ali será guardado. Dessa forma, é possível acomodar os cabides e guardar sem problema sapatos, camisetas e até roupas de cama. Já prateleiras de estantes podem ter a exata medida dos livros que você possui.

A pegadinha da semana são as estratégias que não falham. Cuidado para não carregar um piano pesado demais. Sempre há uma resistência em praticar o desapego.
Para ganhar área livre no quarto, opte por portas de correr nos armários. Elas ficarão mais elegantes se você as revestir de espelho.

Por sinal, espelhos são grandes aliados quando a intenção é passar a sensação de amplitude. No entanto, cuidado com o exagero. Quando usados em excesso, tornam os espaços desagradáveis. Evite vestir paredes inteiras com eles, bem como espalhar muitas peças recortadas ou bisotadas.
A medida certa para tirar o melhor proveito dos espelhos é usá-los num formato estreito e comprido. Abaixo de um tampo em balanço ou compondo uma faixa sobre o sofá são duas ideias bacanas para a sala.

Ambientes com decoração clara também ajudam a disfarçar a falta de espaço. Nem por isso cores escuras estão vetadas em áreas pequenas. Pelo contrário, tonalidades mais fortes, aqui e ali, funcionam como pitadas de energia.

Uma parede pintada de verde-escuro, por exemplo, num espaço todo branco, deixa a ambientação muito elegante.
Assim como um piso preto, que criará um contraste atraente com os estofados e os tapetes claros.

Se o piso é bonito, dispense o tapete. Acho a troca justa, esse complemento da decoração muitas vezes faz com que o ambiente pareça ainda menor.

Móveis abaixo da linha da cintura e alongados também proporcionam a impressão de amplitude. Poucas lojas oferecem mobiliário nessa medida, por isso o melhor é encomendar as peças a marceneiros de confiança, mas antes não dispense quem entende do traço, me consulte sempre, pois o silencio aqui está em segundo plano e sem necessidade. Sugiro que você pense a respeito.

Padronizar um material para cobrir o chão da casa toda é um ótimo recurso para fazer o espaço render. Pode ser cimento queimado, epóxi e até mesmo madeira, uma vez que hoje, com a ajuda de resinas poderosas, esses pisos se tornam imunes à água, são bem-vindos da sala ao quarto, passando pela cozinha e pelos banheiros com exceção das áreas molhadas.

Como tirar partido do piso?

O ideal é optar por revestimentos lisos, que proporcionam uma base neutra para a decoração.

Piso em Epóxi

Que tipo de decoração é mais adequada?

Em espaços pequenos, misture o menos possíveis peças modernas e antigas. Esse mix sobrecarrega o visual e deixa tudo parecer ainda menor. O melhor é eleger um estilo.

Evite também ter muitos sofás e mesas pequenos espalhados pela sala. O certo aqui é ter menos peças, maiores e mais largas.
Itens de silhueta mais diluída aumentam a sensação de espaço e são elegantes.

Outra maneira de enganar os olhos é integrar ao máximo os ambientes. Sem barreiras visuais, o olhar vai longe e a impressão é de amplitude. Nesse caso, é fundamental que os móveis de todos os espaços dialoguem entre si.

Aprimore seu senso de organização e tudo aquilo que não te pertence ou se está na duvida, jogue fora, aquilo que ficou obsoleto, se desapegue. Com suas ideias fluindo e a vontade de viver melhor, tenho certeza que no próximo feriado você nem vai querer sair de casa.

Deixe seu comentário