dez
29


Só sei que cada canto da casa tem a sua atividade, senão vira uma zona!!!
Voce sabe que tem muita gente que come na cama né? Isso contece na sua casa??? Mas não é uma regra …. ou é?
A verdade é que toda casa tem que ter umas regrinhas básicas e não devemos abrir mão delas.

Temos a possibilidade de colocar divisões dentro de alguns cômodos, as salas podem ter biombos que nos dão alguma privacidade,  na sala de jantar conjugada com sala de estar, bancadas que são ótimas divisões em cozinhas integradas. Quartos de crianças muitas vezes precisam de uma organização básica tríplice, lugar para estudo, brincar e de dormir.

Os apartamentos construídos com o conceito de espaços abertos sempre podem ter elementos que dividem espaços.

Harmonia e equilíbrio exigem parâmetros para serem mantidos, assim como ter em sua casa espaços que ofereçam ambientes sem tensão, e isso não acontece em um passe de mágica.

Quando eu falo que tem que ter um pouquinho de limite é porque simplesmente as coisas podem ser divididas para que elas não criem muito problemas, tipo assim, fazer dever de casa na mesa de jantar desde que não seja na hora da janta,tudo bem…..dormir no sofá da sala se for no fim de semana e se você estiver assistindo um filme chato….. tudo bem também…. tem que ter um pouco de flexibilidade!
Impor regras demais acaba formando um clima de tensão. Mas também, não é legal deixar a coisa muito solta porque vai ficar parecendo casa de doido, imagina achar sapatos em cima da máquina de lavar roupas!

E caso você trabalhe em casa, sabe muito bem do que eu estou falando, a vida tem que ter limites de tudo, de horários, de entrada e saída, de moveis e se você quiser saber mais entre lá no nosso blog e leia este post https://blogindicativo.com.br/office/trabalhando-em-casa-2/

 

 

Caso seu escritório seja na garagem, você tem a facilidade de restringir os curiosos, você sabe que as pessoas confundem e acham que só porque você trabalha em casa pode atender telefone fora do horário comercial, “me inclui fora disto” respeito é bom e eu gosto. A dificuldade em estabelecer limites para o uso do tempo e do espaço parece ser um problema pratico; mas na verdade é uma questão emocional.

Limites ah! Como o pessoal tem dificuldade! Pode ser de mãe com filho, com marido e mulher, até com empregada e patroa, usualmente as pessoas confundem o que é permitido ou não, não dá pra liberar geral, certo? A máxima é que quando a porta do quarto da mamãe estiver fechada, isto é igual a um sinal vermelho, Stop!!! Não tenha receio, pois seu filhinho tem que saber a hora de pedir licença para entrar.

Quer um.outro exemplo do porque devemos ter limites? Imagina entrar com o sapato sujo de lama dentro de casa! Ou, sabe aquela cara de pau, também, de comer pão sem apanhar um prato ou um guardanapo e espalhar migalhas no chão? Ah! Sem falar em ver as calcinhas ou cuecas penduradas nas maçanetas das portas ou na torneira do chuveiro. São tantas coisas !

Se você é daqueles que tem bebê em casa, se preocupe mesmo, pois se deixar, o caos se estabelece rapidamente. É difícil sim mas a gente tem que ter poder de não deixar largado, é patrulha mesmo. Porque tem horas que mais parece que passou um furacão.

Esses limites não restringem as liberdades: definem parâmetros e respeitam necessidades. Se você precisa de um lugar para ter uma oficina, ou de um quarto de brinquedos, ou de um local para deixar suas roupas molhadas, abra espaço para ele. Não arruíne a função de um ambiente, nem desrespeite os direitos de outra pessoa para conseguir seu objetivo que é fazer coisas à sua moda.

 

Na verdade os espaços todos podem ter funções complementares desde que haja um acordo entre as pessoas que convivem no lugar e que haja a possibilidade de setorizar os espaços.

Eu diria que todos os ambientes podem ser sua função principal, tipo:

  • O quarto é para dormir, porém pode rolar umas três funções nele, (brincar, dormir e estudar).
  • Sala é local de receber, mas pode virar, (quarto de hospedes, escritório e sala de jantar).

Trabalho com a Arquitetura da Felicidade, e minha máxima é : O que torna um lar um lugar sagrado?

Não são os móveis, as cores nem os objetos, é o nosso comportamento, nossa energia, nosso respeito e amor ao próximo. Nada é fixo, permanente e, portanto, nosso lar precisa ser flexível. Recomendo mudanças de hábitos tão simples quanto significativas:

Que tal mudar os quadros ou trocar as flores de acordo com a estação? Sugiro ficarmos alguns minutos em silêncio ao retornarmos para casa no final do dia, para nos acalmar e refletir, afinal, você não é o mesmo que saiu pela porta naquela manhã.

Sou grata porque a vida me permite ter lindos momentos e porque também tenho a oportunidade de criar memórias que serão lembradas quando eu não tiver mais por aqui…

Dá uma passadinha lá e compartilha um momento seu comigo nas opiniões … vou amar!

Se quiser a receita… só pedir!

Grande beijo e um feliz 2019!

Deixe seu comentário